Municípios devem aumentar os testes de covid para barrar a subvariante EG.5, diz Sesapi

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde(CIEVS) e a Coordenação de Epidemiologia da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), emitiram nota de alerta epidemiológico sobre a nova subvariante da Ômicron. O objetivo é orientar os órgãos de saúde do estado sobre a  EG.5. Até o momento, o Piauí não registou casos de Covid em decorrência da subvariante.

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou a detecção do primeiro caso da subvariante EG.5 do coronavírus, conhecida como Éris, no estado de São Paulo.

Continua após a publicidade..

A identificação aconteceu pelo sequenciamento genético realizado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) após análise de amostras coletadas pelo laboratório de um hospital privado na capital. Esse é o primeiro registro da cepa no país.

Segundo a nota técnica, a recomendação do Ministério da Saúde às autoridades de saúde nos âmbitos federal, estadual e municipal é a adoção de medidas para aumentar a coleta de testes diagnósticos e a vigilância genômica dos casos sintomáticos de covid-19 para detecção precoce de mudança no cenário epidemiológico.

Diante da orientação do Ministério da Saúde, a Sesapi solicitou às regionais de saúde um levantamento junto aos municípios sobre a necessidade de envio de testes, por meio do CIEVS, para atender a demanda.

 “Importante salientar que a EG.5 ainda não foi identificada no Piauí, porém, é possível que possa já está circulando no estado de forma silenciosa, como ocorreu com outras variantes. Com isso, orientamos o reforço da testagem com os municípios e também os cuidados de prevenção da doença”, disse Amélia Costa, coordenadora do Cievs.

O documento também lembra aos gestores municipais sobre a necessidade de continuar seguindo com o calendário de vacinação contra a Covid, de acordo com as determinações do Ministério da Saúde, com atenção aos grupos de risco (pessoas com 60 anos ou mais, imunosuprimidos, gestantes, população indígena e profissionais de saúde).

“Manter a vacinação em dia é a principal medida de combate à covid-19. Por isso, se torna cada vez mais importante a atualização das doses de reforço para prevenção da doença. Também pedimos para aqueles que estão nos grupos de maior risco de agravamento pela doença, que continuem a seguir as medidas de prevenção e controle não farmacológicas, incluindo o uso de máscaras em locais fechados, mal ventilados ou aglomerações, além do isolamento de pacientes infectados com o vírus SARS-CoV-2”, reforça a superintendente de Atenção à Saúde e Municípios da Sesapi, Leila Santos.

Sesapi Alerta Epidemiologia

O que é a EG.5

A EG.5 da COVID-19 (ou “Éris”, como é também conhecida não oficialmente, em alusão a um dos maiores planetas anões do nosso sistema solar e da deusa grega do caos) é uma nova subvariante da Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2 que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou como de interesse, o que significa que os países devem segui-la com mais atenção do que outras variantes devido a mutações que podem torná-la mais contagiosa.

Sintomas

Não diferem daqueles que encontramos em subvariantes anteriores, nomeadamente a febre, fadiga, tosse, perda do paladar ou do olfato, dor de cabeça e de garganta, erupções cutâneas e irritação ocular.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *