ONS afirma que ainda investiga por que apagão se alastrou pelo país

O ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) afirmou nesta quarta-feira (16) que ainda investiga por que o apagão desta terça se alastrou por todo o país. Considerado o ‘primeiro evento’ da ocorrência, a queda de uma linha da Eletrobras no Ceará não causaria o impacto verificado.

As investigações devem ser concluídas em cerca de 30 dias, disse o operador. No próximo dia 25, a entidade se reúne com agentes envolvidos, além de Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e MME (Ministério de Minas e Energia).

Continua após a publicidade..

Como adiantou o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, a análise preliminar identificou que o primeiro evento da ocorrência foi a queda, por atuação incorreta do sistema de proteção, de uma linha de transmissão entre Quixadá e Fortaleza.

“O desligamento isolado não causaria o impacto visto no SIN [Sistema Interligado Nacional] e este é um ponto que ainda está sendo apurado”, disse o ONS, em nota divulgada na noite de quarta, após as declarações do ministro.

A declaração corrobora nota da Eletrobras divulgada um pouco antes. Nela, a estatal admite que um problema técnico derrubou a linha, mas ressalta que o evento não tomaria de forma isolada a proporção que tomou.

“As redes de transmissão do SIN [Sistema Interligado Nacional] são planejadas pelo critério de confiabilidade “n-1″, de modo que, em caso de desligamento de qualquer componente, o sistema deve ser capaz de permanecer operando sem interrupção do fornecimento de energia”, afirmou a companhia.

No texto, o operador considera que o mecanismo de proteção do sistema de transmissão, chamado de Erac (Esquema Regional de Alívio de Carga) atuou corretamente e permitiu o retorno do fornecimento em um prazo menor nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

“Tivemos um evento de grandes proporções e uma resposta ativa e adequada”, diz, na nota, o diretor-geral do ONS, Luiz Carlos Ciocchi. “As ações de segurança que foram adotadas permitiram, por exemplo, que subsistemas que não estavam no centro do problema tivessem uma retomada mais rápida da carga”.

O apagão começou às 8h31 de terça e deixou sete estados totalmente sem energia. Outros 18 foram afetados apenas parcialmente, a maior parte deles de forma controlada, com o acionamento do sistema automático de proteção.

A região Sul foi a primeira a ter o abastecimento totalmente restabelecido, às 9h05. Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, o restabelecimento foi concluído às 9h33. A ocorrência foi considerada terminada às 14h49.

Fonte: Folhapress/Nicola Pamplona

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *