Pesquisa aponta que 110 milhões de consumidores vão gastar com presentes no dia dos Pais

Nada menos do que 110,5 milhões de pessoas devem presentear parentes e amigos no Dia dos Pais deste ano. O número representa 8,7 milhões a mais em relação ao ano passado, ou uma alta aproximada de 7,8%. E é resultado de levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offerwise Pesquisas. De acordo com a pesquisa, 68% dos consumidores pretendem comprar presentes no Dia dos Pais este ano.

Em termos de faturamento, a expectativa é de que o segundo domingo de agosto movimente R$ 26,94 bilhões no comércio. Muito graças ao número de pessoas que pretendem gastar mais em 2023: 36% pretendem gastar mais que em 2022 (com destaque entre os homens), 35% o mesmo valor e 17% querem gastar menos (queda de 9 pontos percentuais frente a 2022, sobretudo as mulheres e classes C/D/E).

Continua após a publicidade..

E quem vai gastar mais, já viu: 41% desejam comprar presentes melhores; 40% acreditam que os preços dos produtos estão mais altos e 28% querem comprar maior quantidade de presentes. Já entre aqueles que pretendem gastar menos, 34% querem economizar, 19% estão com o orçamento apertado, 12% citam as incertezas do cenário econômico e 12% vão dividir o valor do presente com outra pessoa.

Quanto custa?

A pesquisa aponta que o valor médio dos gastos será de R$ 244 ao todo. Os consumidores pretendem comprar, em média, 1,7 presente. Para isso, oito em cada dez consumidores (76%) pretendem pesquisar preços para economizar nas compras; a maioria utilizará sites (72%), shopping (41%) e redes sociais (38%). Para 67% dos entrevistados que fizeram compras na data em 2022, os produtos estão mais caros este ano; 29% acreditam que estão na mesma faixa de preço; e 4% que estão mais baratos.

No quê gastar

A maioria quer comprar roupas: 52%. Em seguida vem perfumes e cosméticos, com 34%. Calçados e acessórios também tem 34% das preferências e acessórios como meias, cintos, óculos e relógios ficam com 24%.

As compras à vista estão nos planos da maioria dos consumidores, 76%; entre eles, o pagamento via PIX é o escolhido por 30% dos entrevistados, e o dinheiro físico tem 24% das preferências. Por outro lado, 37% têm intenção de pagar parcelado, com destaque para o cartão de crédito (33%).

Pai é quem…

Entre os entrevistados, 62% pretendem presentear o próprio pai, 19% o esposo, 11% o pai de seus filhos e 9% o sogro. A maioria dos consumidores, 74%, pretende ir às lojas físicas e postos de vendas. Já 39% vão comprar pela internet.

“A primeira data comemorativa do segundo semestre funciona como um termômetro para o setor que acompanha as tendências de compra dos consumidores para as festas de final de ano. A pesquisa traz ânimo para o setor uma vez que aponta que os consumidores deverão gastar mais este ano” – José César da Costa, pres. CNDL

Importante mesmo para os consumidores é: o preço (50%), promoções, descontos e qualidade dos produtos (39%) e frete grátis (30%). Apesar disso, 26% dos entrevistados admitem que gastam mais do que podem com presentes. E mais: 12% pretendem deixar de pagar alguma conta para realizar a compra. “O país enfrenta um longo período de alta na inadimplência, o que afeta diretamente o poder de consumo da população. A prioridade deve ser o pagamento das contas em atraso, planejar os gastos e fazer muita pesquisa de preço”, alerta a especialista em finanças da CNDL, Merula Borges.

Fonte: SBT News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *