Produção recorde pode reduzir preço da carne no Brasil

De acordo com projeções da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil está prestes a atingir um marco histórico na produção de carnes bovina, suína e de aves este ano. Com um total estimado de 29,6 milhões de toneladas, essa será a maior produção registrada até o momento. O presidente da Conab, Edegar Pretto, destaca que o aumento na produção de carnes terá um impacto positivo nos preços para os consumidores brasileiros.

A maior oferta no mercado significa uma maior competitividade, o que pode resultar em preços mais baixos para os consumidores finais. Pretto ainda enfatiza que esse cenário pode levar a um aumento do consumo de proteína animal, com um destaque especial para o churrasco, que possui uma importância cultural significativa para o povo brasileiro.

Continua após a publicidade..

Esse recorde na produção é impulsionado principalmente pelo setor suíno, que espera atingir 5,32 milhões de toneladas em 2023, representando um aumento de 2,7% em relação ao ano anterior. Esse número é o mais alto já registrado no país para essa categoria. Além disso, a produção de bovinos também terá um crescimento significativo, com uma estimativa de cerca de 9 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 4,5%. Esse aumento já era previsto, considerando o ciclo pecuário que geralmente leva a um maior abate de fêmeas e, consequentemente, a uma maior disponibilidade de carne no mercado.

Quanto à produção de aves, a estimativa é de 15,21 milhões de toneladas, um aumento de 2,9%. Essa boa produção, aliada aos registros de gripe aviária em outros países, como Europa, Japão e Estados Unidos, tem impulsionado a procura pela carne de frango brasileira. Até o momento, o Brasil tem se mantido livre dessa doença na produção comercial.

Em relação às exportações, a Conab também prevê números recordes, com mais de 9 milhões de toneladas sendo destinadas ao mercado internacional. Para suínos, estima-se um crescimento de 10,1%, alcançando 1,22 milhões de toneladas. No caso dos bovinos, as exportações estão projetadas em 2,91 milhões de toneladas, o que representa uma pequena redução de 3,3% em comparação ao ano anterior, influenciada pelos embarques mais lentos no início de 2023. Em contrapartida, as exportações de carnes de aves devem crescer cerca de 10,2%, atingindo um volume de 5,12 milhões de toneladas, estabelecendo um novo recorde para o setor.

Apesar do aumento das exportações, a disponibilidade de carnes no mercado interno será elevada em 2,4%, totalizando 20,44 milhões de toneladas, sendo a segunda maior quantidade da série histórica. Esses números promissores reforçam a importância do agronegócio brasileiro, não apenas como um motor para a economia do país, mas também como um fornecedor confiável de proteína animal para o mundo todo.

(Com informações da Agência Brasil)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *