Sindicato afirma que indústria está tentando se adequar à nova produção de caju

O presidente do Sindicato das Indústrias Beneficiadoras de Caju do Piauí, Leontino Neto, afirmou em entrevista ao Notícia da Manhã que as indústrias estão tentando se adequar à nova produção de caju. Nesta semana, os produtores de caju da cidade de Pio IX informaram que estão tendo perdas devido à redução na compra do produto.

Segundo Leontino Neto, está sendo produzido um novo clone do caju que acaba dificultando o processamento da polpa da fruta.

Continua após a publicidade..

“Todas as indústrias estão com a carga ‘topada’, mas o que é que acontece, o clone que está produzindo agora é um clone 226, um clone que a Embrapa desenvolveu ele para castanha, é muito bom, é produtivo, é muito adaptado aquela região de fronteiras com o estado do Ceará, mas esse clone tem muita massa, muita fibra ai ele é um clone que dá trabalho para fazer processo”, explicou.

O presidente destacou que as indústrias já estão tentando se adequar, mas que o processamento do produto ficou mais lento.

“Ele foi um clone que para gente é recente, um clone que está começando em operação aqui nas fábricas recente, todas as indústrias estão sendo obrigadas a se adequar, a trabalhar com ele. A gente agora instalou mais uma refinatriz porque ele deixa muito resíduo porque ele não foi um clone exclusivamente para polpa”, acrescentou.

Leontino Neto garantiu ainda que as indústrias estão tentando aproveitar o máximo possível do caju.

“Estamos tentando se adequar, semana passada foi uma situação e essa semana a gente tá trabalhando todos os dias, todas as indústrias tentando aproveitar o máximo do pedúnculo do caju porque quanto que para 1 kg de castanha tem 9k da caju”, finalizou.

Rebeca Lima
redacao@cidadeverde.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *