36% dos trabalhadores estão insatisfeitos com vale-refeição, diz pesquisa

Uma pesquisa inédita realizada pela LCA, a pedido do iFood, plataforma de delivery de refeições, revelou que a insatisfação dos trabalhadores com as empresas emissoras de cartões de vale-alimentação (VA) e vale-refeição (VR) está em alta. De acordo com o levantamento, mais de um terço dos trabalhadores (36% do total) desejam trocar suas empresas emissoras de cartões.

A pesquisa, conduzida em julho do ano anterior, ouviu cerca de 500 pessoas de diferentes regiões do país. Os resultados apontam para as principais queixas dos beneficiários em relação aos serviços oferecidos pelas empresas emissoras. Dentre os problemas mais recorrentes, 38% dos trabalhadores relataram que a bandeira atual dos cartões não é aceita em todos os estabelecimentos. Além disso, 18% apontaram que as empresas não fornecem serviços de qualidade, enquanto 39% dos entrevistados afirmaram que a falta de serviços inovadores é uma preocupação.

Continua após a publicidade..

Guilherme Paiva, head de Políticas Públicas do iFood, destacou que os resultados da pesquisa refletem o desejo dos beneficiários dos programas de VA e VR de terem o direito de escolher a empresa que melhor atenda às suas necessidades. Ele também ressaltou a insatisfação com a estrutura atual do mercado, que apresenta limitações no número de estabelecimentos que aceitam os vales-benefícios em algumas regiões.

A Lei 14.442, sancionada em setembro do ano anterior à pesquisa, estabeleceu a possibilidade de portabilidade e interoperabilidade para os benefícios de alimentação. Isso permitiria aos trabalhadores trocar a empresa emissora dos cartões e utilizá-los em qualquer maquininha, visando ampliar a rede credenciada. No entanto, apesar da previsão inicial de implementação para maio do ano da pesquisa, a lei ainda não havia sido regulamentada pelo governo atual, adiando sua efetivação para maio do ano subsequente.

O iFood acredita que a portabilidade e a interoperabilidade podem causar um impacto positivo no setor, beneficiando os trabalhadores e o mercado de restaurantes. Além de oferecer a oportunidade de escolher a melhor empresa emissora dos cartões, a interoperabilidade das maquininhas pode resultar na redução das taxas atualmente cobradas das empresas de alimentação pelas grandes emissoras de vales.

Estima-se que a economia com essas taxas pode chegar a impressionantes R$ 5,21 bilhões ao ano para o setor de bares e restaurantes. A pesquisa ainda revelou que o mercado de benefícios de vale-alimentação e vale-refeição movimenta cerca de R$ 150 bilhões anualmente, beneficiando aproximadamente 23,4 milhões de trabalhadores em todo o país.

meio norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *