Engenheiro piauiense é um dos ocupantes de helicóptero que desapareceu na Amazônia

O engenheiro civil piauiense José Francisco Vieira é um dos ocupantes do helicóptero que está desaparecido desde a última quarta feira na Amazônia, entre os estados do Pará e do Amapá. O profissional faz parte dos quadros da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) e estava atuando na manutenção de pistas de pousos na região da Terra Indígena Parque do Tumucumaque.

José Francisco Vieira é servidor da Funai há mais de 30 anos e é lotado atualmente na unidade descentralizada de Manaus, no Amazonas, onde atua em atividades de campo. Ele é natural do município de São Miguel do Tapuio (a 225 km de Teresina )

Continua após a publicidade..

O piauiense faz parte da equipe responsável pela homologação de aeródromos em territórios indígenas. As pistas são usadas para ações humanitárias, como entrega de medicamentos e suprimentos, e remoção de pacientes.

Foto arquivo pessoal

Ao Cidadeverde.com, Francisco de Paula,  irmão do engenheiro piauiense, afirmou que a família está confiante e acompanha de perto o trabalho de buscas.

“Até agora, as equipes de busca não encontraram nenhum vestígio de fumaça ou destroços. Estão fazendo buscas diárias, mas não tem nenhum achado que possa identificar o local. Eles podem inclusive ter pousado em uma determinada clareira e estar aguardando o resgate. Está todo mundo em oração e torcendo”, contou Francisco, que viajará para o Amapá neste sábado para ficar mais perto das buscas.

Foto: Grupo Tático Aéreo do Amapá

Também estavam no helicóptero o piloto, tenente coronel Josilei Gonçalves de Freitas, e um mecânico, identificado apenas como Gabriel.

O helicóptero, contratado pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Amapá e Norte do Pará, decolou por volta das 12h da última quarta-feira (16) da base Bona, na Aldeia Maritepu, localizada no Parque Indígena Tumucumaque, no Pará, com destino a Macapá.

De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), o pouso estava previsto para ocorrer pouco mais de duas horas após a decolagem.

As buscas são coordenadas pelo Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico Amazônico, da FAB.

Aeronaves dos estados do Pará e do Amapá também atuam na operação.

A Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) divulgou uma nota sobre o caso:

A Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) acompanha o trabalho de busca a um helicóptero da empresa Sagres, contratada pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Amapá e Norte do Pará, que está desaparecido desde a última quarta-feira (16) com os seguintes ocupantes: o engenheiro da Funai José Francisco Vieira, o comandante Tenente Coronel Josilei Gonçalves de Freitas e o mecânico Gabriel.

De acordo com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde, a equipe fazia inspeção de pistas de pouso na região da Terra Indígena Parque do Tumucumaque, e decolou do polo base Bona, na Aldeia Maritepu, às 12h. O grupo deveria ter chegado a Macapá (AP) às 14h de quarta-feira.

Após serem acionadas, as autoridades competentes começaram as buscas na região. Conforme a Sesai, ainda não há informações relativas à aeronave e aos passageiros. A Funai segue em contato com outros órgãos empenhados nas buscas.

Natanael Souza
redacao@cidadeverde.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *