Flamengo desaponta Maracanã lotado e empata com o lanterna América-MG

O time de Jorge Sampaoli começou muito bem o jogo, mas caiu demais de produção no segundo tempo e viu o adversário mineiro tomar conta do jogo.

Felipe Azevedo abriu o placar, mas Victor Hugo assegurou a igualdade já nos acréscimos da 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Continua após a publicidade..

O resultado deixa o Flamengo com 28 pontos. O Palmeiras, que venceu o Fortaleza por 3 a 1 no Allianz Parque, também chegou a 28, mas fica atrás no número de vitórias. Sem vencer há sete jogos, o América-MG alcançou apenas o décimo ponto.

O Flamengo volta a campo na próxima quarta-feira contra o Grêmio em Porto Alegre, às 21h30, pela semifinal da Copa do Brasil. Já o América-MG recebe o Palmeiras na Arena Independência no próximo domingo, às 16 horas, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Após uma semana de trabalho, o Flamengo chegou no Maracanã com alguns desfalques e outras novidades no time titular. Erick Pulgar ainda se recupera de um incômodo na posterior da coxa direita, enquanto Thiago Maia e Luiz Araújo estavam suspensos.

Por outro lado, David Luiz, Fabrício Bruno, Bruno Henrique e Pedro treinaram normalmente durante a semana e foram relacionados para o jogo deste sábado. Foi a primeira vez que Jorge Sampaoli pôde contar com o quarteto Arrascaeta, Bruno Henrique, Everton Ribeiro e Gabriel.

Vagner Mancini apostou na mesma formação que enfrentou o Corinthians no último sábado, pela Copa do Brasil: 4-3-3, com Pedrinho e Paulinho Boia abertos nas pontas, Mastriani centralizado e Martín Benítez servindo os companheiros pelo meio.

O argentino, inclusive, foi a principal novidade no time titular, depois de uma grande atuação na Arena Corinthians. Quando a bola rolou, o Flamengo precisou de apenas 2 minutos para encontrar espaço na defesa do América-MG.

Iago Maidana recebeu um passe forte, mas não conseguiu o domínio e Everton Ribeiro roubou pela direita. O meia chegou na linha de fundo e cruzou na cabeça de Gerson, sem marcação, mas o meia cabeceou em cima do goleiro Mateus Pasinato.

Essa foi a primeira chegada de um início de partida eletrizante do Flamengo, com muita movimentação na frente e pressão na saída de bola do adversário.

Estreando no time titular, Allan foi muito importante para dar dinâmica no jogo proposto por Jorge Sampaoli. Era dele a ‘pressão pós perda’ no início da transição, mantendo com frequência a bola no campo de ataque do Flamengo.

Quando conseguia fugir do primeiro combate, o América-MG alargava o campo com os pontas em velocidade, mas tinha dificuldade para criar uma chance de finalizar contra Matheus Cunha.

Com bastante liberdade para jogar entre as linhas da marcação, Everton Ribeiro se aproximava de Arrascaeta para gerar superioridade numérica – e técnica.

Nos acréscimos do primeiro tempo, o brasileiro recebeu pela direita e acionou o uruguaio dentro da área, que finalizou rasteiro contra Pasinato. O goleiro espalmou para o meio e Gerson chegou de trás para finalizar, mas o goleiro mineiro se recuperou e encaixou a bola mais uma vez.

Sem mudanças no intervalo, o jogo voltou para o segundo tempo mais dinâmico. O Flamengo manteve a proposta de pressionar, mas subiu suas linhas e deixou espaço para o América-MG, que passou a se arriscar mais e encontrou suas primeiras oportunidades.

Com sete minutos, Daniel Borges cruzou para Pedrinho e o atacante deixou de cabeça para Mastriani. O centroavante tentou um voleio dentro da pequena área, mas furou e a bola ficou com Matheus Cunha.

Antes, com cinco, Gabriel perdeu uma oportunidade clara de abrir o placar, frente a frente com Pasinato.

O atacante viveu uma tarde com diversos erros técnicos nos poucos momentos em que conseguiu espaço na marcação mineira, que o acompanhava de perto Mais confiante na segunda etapa, o lanterna América-MG passou a ter o controle da partida.

Rodrigo Varanda saiu do banco de reservas para mudar completamente a dinâmica no Maracanã lotado. Com menos de um minuto em campo, o atacante bateu rasteiro no cantinho de Matheus Cunha, que defendeu.

Mais tarde, aos 29, o camisa 65 recebeu nas costas de Léo Pereira, invadiu a grande área e jogou pro fundo das redes, mas o árbitro de vídeo (VAR) anulou o gol, indicando impedimento no início do lance.

De olho no cansaço do Flamengo e a queda de produção do time da casa, Vagner Mancini colocou mais fôlego novo em campo. Foi do banco de reservas que saiu o gol da vitória mineira, aos 38. A jogada começou dos pés de Varanda, que carregou no contra-ataque 3 contra 3.

O atacante soltou com Juninho na esquerda, que cruzou de primeira. Ayrton Lucas cortou e Felipe Azevedo chegou de trás batendo rasteiro para vencer Matheus Cunha.

O lance do gol deixou claro como o Flamengo baixou seu ritmo. Com a marcação desmontada no contra-ataque, David Luiz deu o espaço que Juninho precisava na direita, Allan fechou no segundo pau para cobrir Léo Pereira e Gerson demorou demais para recompor, deixando o autor do gol livre.

Atrás no placar, o time de Sampaoli trocou passes no campo de ataque, mas só conseguiu encontrar o empate com a bola parada.

E foi um gol de redenção: Victor Hugo, que entrou no lugar de Everton Ribeiro e não fazia uma boa partida até então, sacramentou de cabeça o resultado no Rio de Janeiro.

Em cobrança de falta pela esquerda, Arrascaeta jogou na marca do pênalti e o meia das categorias de base do Flamengo cabeceou no ângulo, para finalmente vencer Mateus Pasinato aos 49 minutos do segundo tempo.

Fonte: Estadão Conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *