Há 11 anos, piauiense Rômulo conquistava prata olímpica com a seleção: “Um privilégio”

Há exatos 11 anos, o estado do Piauí conquistava sua quarta medalha olímpica, nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, com o volante Rômulo defendendo a camisa amarelinha ao chegar à final dos Jogos e ficar com a medalha de prata. O gosto foi um pouco amargo, já que o Brasil era favorito e foi derrotado pelo México (2×1), mas o jogador piauiense relembrou o peso desse dia, em que subiu a um pódio olímpico e levou junto não só a cidade de Picos, como todo o estado do Piauí.

“O que posso me lembrar é que foi um marco para minha carreira, que fez toda diferença, uma das conquistas mais importantes da minha carreira. Qualquer jogador sonha em defender seu país e ainda mais em uma olímpiada. Foi uma medalha de prata, importante, porque até então o Brasil ainda não tinha conquistado uma medalha de ouro e naquele momento conseguimos conquistar a de prata, mas foi um dos marcos mais importantes da minnha carreira com certeza”, afirmou o volante Rômulo. 

Além do volante Piauiense, natural de Picos, Rômulo, que época defendia o Spartk de Moscou, da Rússia. A seleção brasileira era recheada de grandes craques, que até hoje tem muito peso no cenário do futebol nacional e internacional como; Neymar, Oscar, Hulk, Paulo Henrique Ganso, Alexandre Pato, Marcelo e Thiago Silva eram alguns deles, todos sob o comando de Mano Menezes.

Continua após a publicidade..

Créditos: Ricardo Stuckert / CBF

A prata conquistada acabou tendo um gosto amargo, pois os brasileiros foram derrotados na grande final pela Seleção do México por 2 a 1. Apesar de terem feito uma campanha impecável até a final – cinco jogos, cinco vitórias e eram vistos como favoritos na busca por aquele ouro, que na época, seria inédito para o país.

Hoje com 32 anos, Rômulo Borges, pode olhar com orgulho e é visto como o jogador piauiense mais bem sucedido dos últimos 12 anos, além de defender grandes clubes, construiu uma trajetória meteórica até a seleção brasileiro, que provavelmente teriam mais capítulos se fossem as graves lesões nos joelhos.

Entre as inúmeras conquistas que chamaram atenção e atraíram olhares ao piauiense naquele período, ele contou com título de 2011 pela Copa do Brasil no Vasco da Gama; o vice-campeonato Brasileiro do mesmo ano; o Superclássico das Américas diante a Argentina; além de ser titular absoluto na prata do Brasil nas Olimpíadas de Londres de 2012.

“O sonho de todo atleta profissional jogador de futebol, é chegar uma seleção, conquistar título e graças a Deus tenho o privilegio de ter conquistado essa medalha de prata. Muito feliz”, relembrou o piauiense. 

No currículo como atleta, Rômulo deu seus primeiros passos como profissional no Porto (PE), onde ficou até a categoria sub-18. Depois, chegou ao Vasco da Gama, onde ficou por quatro temporadas e chegou a retornar em 2021. Logo em seguida, foi transferido para o futebol russo, defendendo o Spartk de Moscou por quatro anos e de volta ao Brasil ficou dois anos no Flamengo, chegando a ser emprestado ao Grêmio.

Foto: Ascom Retrô

Atualmente no Retrô FC, de Pernambuco, time que briga por acesso de divisão na Série D do Brasileiro e tem pela frente o Maranhão pelas oitavas de final. O primeiro jogo acontece neste domingo (13), às 16h, no Castelão, em São Luís e a definição da vaga até as quartas de final será no domingo (19), na Arena Pernambuco.

Pâmella Maranhão
redacao@cidadeverde.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *