Pedro não comparece a treino do Flamengo após caso de agressão

Após um fim de semana conturbado, o atacante Pedro não compareceu à sessão de treinamento do Flamengo, no Ninho do Urubu, nesta segunda-feira. O episódio se soma à agressão que o jogador sofreu do preparador físico Pablo Fernandez após a partida contra o Atlético-MG, no sábado, pelo Brasileirão. Pedro deve ser punido pelo ato de indisciplina, pois teria se recusado a participar de um aquecimento no estádio Independência, e Fernandez já teve sua saída do clube acertada, embora ainda não oficializada.

A informação sobre a ausência do atacante foi divulgada inicialmente pelo GE e confirmada pelo Estadão. Segundo apurou a reportagem, o clube não liberou o atacante das atividades e não foi informado sobre sua decisão de não comparecer ao treinamento, no Ninho do Urubu. Jorge Sampaoli chegou ao CT ainda nesta manhã de segunda-feira, seguido pelos demais atletas do elenco.

Continua após a publicidade..

A sessão de treinamentos nesta segunda-feira já não contou com a participação de Pablo. Ao Estadão, o Flamengo informou que o filho do preparador, Marcos Fernandez, trabalhou normalmente com o elenco no Ninho do Urubu. Até o momento, Pedro não compareceu ao CT. O clube aguarda um esclarecimento do atacante para decidir quais caminhos serão tomados na sequência.

A agressão ocorreu no vestiário, após Pedro, que não saiu do banco de reservas na vitória por 2 a 1 diante do Atlético-MG, se recusar a continuar o aquecimento após os atacantes Everton Cebolinha e Luiz Araújo terem sido escolhidos para entrar na partida. Pablo Fernandez não gostou da insubordinação de Pedro e reclamou com o atleta, que retrucou. O preparador físico, então, deu um soco na boca do jogador.

O episódio se deu durante uma conversa do atacante ao telefone com sua família. Pedro não revidou à agressão. A diretoria do clube convocou uma série de reuniões de emergência para tentar contornar a situação ao longo do domingo e decidiu pelo desligamento de Pablo Fernandez, que ainda não foi oficializada. O preparador deve apresentar sua carta de demissão nesta segunda-feira.

Após o ocorrido, Pedro foi até uma delegacia de Belo Horizonte para registrar Boletim de Ocorrência (B.O.), acompanhado pelos jogadores Everton Cebolinha, Thiago Maia e Pablo, além do coordenador Gabridel Andreata. Todos confirmaram a agressão. O atacante foi liberado após prestar depoimento e também realizou um exame no Instituto Médico Legal (IML), que atestou a lesão.

A assessoria de Pedro foi procurada pela reportagem, mas não respondeu até sua publicação. Caso venha a se pronunciar, a matéria será atualizada.

Desculpas de Pablo e manifestação de Sampaoli

Um dia depois da agressão e de volta ao Rio escoltado por seguranças do clube, Pablo Fernandez tentou se explicar por meio de nota oficial. “Eu poderia começar essas palavras de mil maneiras, mas a única que realmente faz sentido é pedir desculpas. Ao Pedro, aos colegas, aos trabalhadores e ao Flamengo”, escreveu o preparador físico. No texto, Pablo Fernandez admite ter entrado no vestiário “chateado”. Conforme o Estadão apurou, Pablo Fernandez começou a confusão apontando o dedo no rosto de Pedro e alegando que o jogador “faltou com respeito” a ele ao não querer fazer um aquecimento.

“Entrei no vestiário muito chateado, querendo resolver logo a situação e fiz errado. Foi planejado que hoje seria um dia de folga. É uma pena, porque gostaria de poder, primeiro, falar sobre isso pessoalmente com todos os funcionários do clube. Senti-me muito magoado com uma situação e reagi da pior forma”, escreveu.

Minutos antes da manifestação de Pablo, o técnico Jorge Sampaoli publicou um longo texto nas redes sociais comentando o caso. O treinador lamentou o episódio, condenando a atitude violenta do preparador, e disse que não conseguiu dormir pensando em como ajudar Pedro e Pablo. Mas não tomou partido nem comentou sobre a demissão do preparador. Na coletiva de imprensa de Sampaoli após a vitória do Flamengo em Minas, o assunto foi sumariamente ignorado. Segundo o site “Coluna do Fla”, a falta de um posicionamento público do treinador argentino aliado a uma fraca justificativa de Sampaoli para os atletas dentro do vestiário causou um enorme mal-estar com os jogadores.

Pablo Fernandez tem histórico de agressões. O preparador físico se envolveu em um caso de violência contra um torcedor quando integrava a equipe de Sampaoli no Olympique de Marselha, da França, em 2021. Ele também esteve com Sampaoli no Atlético-MG, Santos e Sevilla, além de ter passagens por Athletic Bilbao e Celta de Vigo, da Espanha, e O’Higgins, do Chile. Em todos os clubes, Pablo Fernandez atuou como preparador físico. No Flamengo, ele dividia a função com o filho, Marcos Fernandez, que continua na Gávea. A dupla tem a confiança do técnico Sampaoli e chegou ao clube em abril deste ano junto com treinador.

Leia a na íntegra a nota da Polícia Civil sobre o caso:

Sobre a ocorrência de lesão corporal registrada nesta madrugada (30/7), ocorrida em um estádio de futebol, na capital, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa os envolvidos foram encaminhados e ouvidos por meio da Central Estadual do Plantão Digital. A vítima, de 26 anos, foi encaminhada ao Instituto Médico-Legal André Roquete (IMLAR) para realizar o exame de corpo de delito, onde foram constatadas lesões leves no rosto e na boca. Após as procedimentos de polícia judiciária, foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), em que o envolvido, de 54 anos, assumiu o compromisso de comparecer à audiência perante o Juizado Especial Criminal para as medidas legais cabíveis, conforme previsão legal, foi liberado.

Fonte: Estadão Conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *