Reajuste dos combustíveis foi decisão “acertada”, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, elogiou nesta quarta-feira (16/8) a decisão anunciada na véspera pela Petrobras de reajustar os preços da gasolina e do diesel para as distribuidoras. As informações são do Metrópoles. 

De acordo com a companhia, o preço médio da gasolina subiu R$ 0,41 por litro para as distribuidoras, passando a ser de R$ 2,93 por litro. Para o diesel, o aumento será de R$ 0,78 por litro, para R$ 3,80 por litro.

Continua após a publicidade..

“Ontem, tivemos o reajuste de combustíveis, que vai ter um impacto em 2023. Achei acertada essa decisão. Não é bom ter um distanciamento grande do preço. Mesmo tendo um impacto (na inflação), achamos que é uma decisão acertada”, avaliou.

As declarações do chefe da autoridade monetária foram dadas durante a abertura do 35º Congresso Nacional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), em Brasília.

No dia anterior, como noticiado pelo Metrópoles, Campos Neto disse a deputados que o reajuste nos combustíveis teria impacto de 0,40 ponto percentual sobre a inflação entre agosto e setembro. Ele salientou, ainda, que a autoridade monetária deverá revisar suas projeções para o comportamento dos preços a partir desse reajuste.

Segundo a Petrobras, considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, de R$ 2,14 a cada litro vendido na bomba.

Em relação ao diesel, considerando a mistura obrigatória de 88% de diesel A e 12% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, de R$ 3,34 a cada litro vendido na bomba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *